Home    Colunista    Higner Mansur    Vem aí a Feira do Artesanato

Vem aí a Feira do Artesanato

Por Higner Mansur

15.07.2017

 

 

 

 

Tem coisa que não dá para entender! Como, Cachoeiro, com riqueza extrema de artesãos e artesãs, os deixa largados e, se quiserem aparecer, que se virem? Desde sempre, exceto espasmos, vi quase nada de iniciativa de Poder Público Municipal para apoiá-los – todos os governos.

 

Agora mesmo, entre 25 e 28 deste mês, ocorre no Parque de Exposição local, junto com outros atrativos, a Feira de Artesanato, acho que regional, apoiada e organizada pela SETADES, órgão de governo... ESTADUAL.

 

Em Cachoeiro, não é de agora,no Parque, além de bois, e (neste ano) de promissora Exposul (que alcançou sucesso), nada mais temos do que cantoria de gente de fora, MUITO BEM... paga. Ora, tais cantores e cantoras de fora, dos quais não tenho qualquer preconceito, são só comerciais – e nada acrescem ao município. Em tempos bicudos (ou não), a prefeitura não deve gastar nosso dinheiro assim. Afinal, é ela, qualquer que seja o prefeito, que reclama da baixa arrecadação de impostos. Não parece!

 

O artesanato local é importante, não só por gerar riquezas, como por criar belezas. Além de encantar a vida de todos, ainda põe brilho nos olhos do artesão, quando termina a peça, e quando a vende ao cidadão satisfeito. Satisfação mútua, se se trata de arte; a famosa operação ganha-ganha.

 

E se já não entendo a falta de proteção ao artesão e à artesã pelo homem público MUNICIPAL, é de cair o queixo saber que no município e no entorno convivemos com bem mais de um milhar de empresas de mármore e de granito - somos a Capital Nacional do Mármore e do Granito. Aí é que é pior: que eu conheça de artesãos do mármore, que pegam na pedra bruta, só existe o Romário Rosa, que luta com não pouca dificuldade. Kakos, o amigo Kakos, foi tão maltratado na arte que seguiu outro rumo. Disseram que tem outro, Rondinélio; vou confirmar.

 

Falei dos artesãos. E as artesãs do mármore e do granito? Essas não são da pedra bruta, são da pedra já trabalhada e com excelente qualidade de artesanato. Que me lembre, breve apanhado, temos Ana Paula Sabadini, Andreza Pessine, Nilma Nogueira, Sirlei Alves; em ordem alfabética, ótimas artesãs, utilizando nossas pedras em bijuterias, em painéis.

 

Mas não é só isso o que queremos. Queremos cidade que valorize MUITO o artesão; cidade que desvie a sujeira que produz (mármore e granito) e a transforme em joias; cidade efetivamente criativa e não que se anuncia criativa, só porque criativa é palavra da moda para cidades que descem... a ladeira e querem subi-la, muitas vezes só na conversa fiada.

 

Fotos Cachoeiro, 1910

 

 

Há exatos 9 anos (julho/2008), o SETE DIAS publicou caderno especial com 29 fotos do Cachoeiro Antigo, retiradas de livro mandado publicar pelo Governador Jerônimo Monteiro, para mostrar o Espírito Santo ao mundo. Naquele tempo de 2008, eu e Claudinha Sabadini organizamos exposição das fotos no Café Mourads.

 

Agora, com a volta da exposição no mesmo Mourads, colocamos as fotos em CD, para que todos possam ter essa recordação histórica, tempo do maior Governador do Estado. Agora, na nova empreitada, contamos com a colaboração pessoal do amigo Vilson Carlo Coelho.

 

As fotos são comentadas individualmente por NELSON SYLVAN, que nasceu em 1910, ano delas.

 

Otexto de Nelson Sylvan acompanha cada foto.O CD está à venda no Café Mourads a R$ 6,00, a unidade; comprando dois CDs sai a R$ 5,00 cada um.

 

Pensamentos Esparsos

 

As cidades precisam criar condições para as pessoas pensarem, planejarem e agirem com imaginação. (Charles Landry)

Jamais se deve confundir uma cidade com o discurso que a descreve. (Ítalo Calvino)

Orgulhamo-nos tolamente de convencer os outros daquilo que nós mesmos não pensamos. (Vauvenargues)

Vai, vai, vai // a vida não tem bis /// agarra a tua estrela /// o que importa é ser feliz. (João de Barro)

Pela janela que a chuva molha /// não sei se sou eu /// ou se é a cidade que me olha. (Greta Benitez)

Diante da eternidade não há muita diferença entre o que é princípio e o que é fim. (Antonio Carlos Secchin)

As promessas, propinas e presentes corrompem a justiça. (Michelangelo)

Quando alguém goza de boa reputação, o melhor é não tentar a fortuna. (Michelangelo)

Vergonha a gente deve ter sempre; mas excesso de vergonha, cuidado, não tenha, senão os espertos ferram você. (Eu)

Para algumas vidas é mais fácil mudar o passado que o futuro. (Eliane Brum)

Cortei em mim a força que poderia fazer mal aos outros e a mim.E com isso cortei também minha força. (Clarice Lispector)

Se ninguém te detesta, se ninguém te odeia, se você não irrita ninguém, tem algo errado com você. (Dr. House)

Podemos brincar e rir com as bobagens da direita, mas o fato é que a esquerda não tem projeto nem articulação. (Renato Janine Ribeiro)

O Sol desapareceu, /// a lua resplandeceu, /// não sei o que aconteceu. (Eu)

Recebei os outros com o mesmo espíritocom que ides a outro. (Joaquim Nabuco)

São poucos os que contribuem.São muitos os que dão palpite sem contribuir. (Eu)

A metade dos homens de meu governo não é capaz de nada e a outra metade é capaz de tudo. (Getúlio Vargas)

É bom fazer perguntas quando se sabe que não irão ter respostas. (José Saramago)

Há 999 arautos da virtude para cada homem virtuoso. (Henry Thoreau)

Porém, que importa o dia que entardece? /// A nós, que importa o oceano desta vida, ///

Se o nosso coração não envelhece? (Benjamim Silva)

Sigam seus sonhos, questionem, tenham muitas inquietações e nunca se cansem de aprender e se (re)fazer! (Giovanna C. Werneck)

Trato bem a todo mundo,/// Trato até cachorro bem; /// por que pois, certos cachorros///

não me tratam assim também? (Nordestino Filho)

Se não tivéssemos defeitos, não sentiríamos tanto prazer em notá-los nos outros. (La Rochefoucaud)

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.