Home    Colunista    Wagner Santos    Números da reforma

Números da reforma

Por Wagner Santos

19.05.2017

 

 

 

Uma parte dos homens age sem pensar e outra pensa sem agir.

Rousseau

 

O prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor coelho mandou para a Câmara projeto de reforma administrativa. Dizia que no seu bojo, além do melhor desempenho da máquina pública, haveria apenas pequena elevação de custos (R$ 1,5 milhão até o fim do mandato).

 

Mas, comparação feita entre a atual estrutura e a que se pretende implantar mostra que o impacto é grande, na casa dos R$ 200 mil por mês (R$ 2,4 milhões no ano), no mínimo, como revelado ontem, no FATO. O rombo, no entanto, pode ser ainda maior.

 

O projeto de lei especifica a redução de 50% para 20% o percentual de servidores concursados a ocupar cargos comissionados. Com isso, oito em cada dez ocupantes de cargo em comissão vai representar 22% para a previdência, enquanto os efetivos contribuem só com 13%.

 

A regra 80/20, no entanto, não diz que a distribuição dos cargos será linear. O prefeito pode, se quiser, lotar os 20% (98) de servidores concursados nos cargos de menor remuneração – entre 715,00 e R$ 1,1 mil – e os demais (396) nos de melhor vencimentos – de até R$ 8,9 mil. Com isso, o custo da reforma pode chegar a R$ 3 milhões anuais (acréscimo de 18,8%).

 

Embora o prefeito tivesse exaltado o corte de quase 100 cargos em relação à estrutura anterior, a que ele cria é ainda mais dispendiosa.

 

Mesmo que, diferente do que propõe, o percentual de meio a meio entre efetivos e não efetivos fosse mantido, a aplicação do reajuste aos cargos remanescentes representaria, ainda assim, aumento de 2% na folha de pagamento.

 

Entre o que diz o prefeito Victor Coelho e os números mostram, há diferença de milhões.

 

Sobe

 

Ricardo Ferraz

 

Os trabalhos do cartunista Ricardo Ferraz, que há mais de 30 anos apresentam o viés da problemática das pessoas com deficiência e alerta para a necessidade de inclusão social em todos os sentidos como forma de cidadania, ganharam destaque durante evento realizado, no início deste mês, pela OIT - Organização Internacional do Trabalho -, em Genebra, Suíça.

 

Desce

 

Mau começo

 

A atual gestão de Cachoeiro demorou 99 dias para apresentar propostas. Então, enviou, sem mais delongas, pacote com oito projetos para a Câmara. Destes, no entanto, cinco ou são inconstitucionais, ou têm erros graves, que precisarão ser sanados por emendas, conforme parecer jurídico da Casa de Leis.

 

DESTAQUE. Ellen Rangel trabalha por telefone. É competente operadora de telemarketing, mas também impressiona pessoalmente pela beleza

 

Mas, hein?!

 

Desarmaram a Guarda, mas ninguém desarma os bandidos.

 

Vias de FATO

 

A ascensão do deputado estadual Rodrigo Coelho (PDT) a líder do governo demonstra, além do seu prestígio, que o governador Paulo Hartung (PMDB) está de olho em Cachoeiro.

 

Depois que a delação premiada atingiu alguns políticos proeminentes, seus vídeos sobre tudo e sobre nada nas redes sociais já não são tão frequentes.

 

Até para quem apoia incondicionalmente a atual gestão em Cachoeiro, está difícil defende-la. São muitos erros e poucas ações de impacto.

 

Nova diretoria da Academia Cachoeirense de Letras toma posse hoje, tendo como presidente a escritora Marilene Depes, que semanalmente colabora com suas crônicas aqui no FATO.

 

A solenidade será a partir das 19h00, no auditório da Unimed. O jornalista Roney Moraes, que morreu antes de assumir o cargo, será homenageado.

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.