Home      Cultura

Documentários exibem história de personalidades de Alegre

14.07.2017

 

 

 

A exibição acontece hoje, a partir das 20h, no Solar Miguel Simão (Foto: Divulgação)

 

Neste fim de semana, Alegre será palco de um dos maiores festivais multiculturais da região sul. O Festival Multicultural Itinerante Bora Caparaó vai apresentar mais de 30 atrações entre música, arte, cinema e gastronomia, com destaque importante para os documentários que serão exibidos que contam um pouco da história da cidade.

 

Os filmes, A Última Canção, O Maestro em Sí e Locus serão exibidos hoje, a partir das 20h, no Solar Miguel Simão, no centro da cidade. O primeiro, resgata a história do cantor Paulo Sérgio, nascido em Anutiba, distrito de Alegre e que teve importante carreira na música popular brasileira. Com relatos de parentes e amigos do músico, o documentário aborda também a questão do esquecimento da cidade que não sabe quem foi este grande ícone da música.

 

O filme "O Maestro em Si" apresenta vida e obra de Wilson Laerte de Oliveira, pianista natural de Alegre, interior do Espírito Santo. Apaixonado pela música, na pequena cidade interiorana firmou raízes e amizades durante uma vida inteira dedicada à arte. O documentário de 20 minutos revela, por meio de relatos de grandes músicos e amigos, fatos pitorescos e harmoniosas recordações pessoais do maestro.

 

Com 26 minutos de duração, o filme Locus narra pequenas histórias sobre a convivência com a loucura em Alegre. Pessoas que são muitas vezes vistas pela população como loucas, diferentes ou excêntricas, e que por isso mesmo fazem parte da cultura local. Entre seus personagens principais destacam-se Luiz Cláudio Dias (o popular "Banana") e Luciano André, ambos acompanhados pelas câmeras da produção em suas casas, nas festas e eventos sociais da cidade, e até mesmo durante as eleições de 2010.

 

Para Taynara Barreto e Paulo Paraizo, produtores do documentário A Última Canção, este é um momento de celebração para a cultura de Alegre. “O Bora Caparaó é um agregador de várias culturas. Este resgate histórico da apresentação dos filmes, no espaço do Solar só vem mostrar o potencial que a cidade tem e muitas vezes não valoriza. Estamos muito felizes em poder exibir o nosso material dentro de um Festival como este. Esperamos que a comunidade valorize esta iniciativa”, avalia Taynara.

 

O secretário municipal de Turismo, Cultura e Esporte, Ronilson Assis, também considera a iniciativa um importante passo para a cultura da cidade. “Como não apoiar uma ideia como esta? Alegre é berço de um dos maiores festivais do Brasil, sempre fomos conhecidos por sermos agregadores de várias culturas, precisamos retomar estas iniciativas na cidade. Alegre é uma cidade jovem, cheia de vitalidade e que precisa voltar a receber eventos como o Bora Caparaó”, conclui o secretário.

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.