Home      Educação

Interno de Cachoeiro conquista 1º lugar em concurso de redação

12.12.2016

 

 

 

O primeiro lugar do concurso de redação Direitos Humanos na Escola 2016 é de um interno do sistema prisional. Wanderson da Silva Guedes, que cumpre pena na Penitenciária Regional de Cachoeiro de Itapemirim (PRCI), foi premiado em cerimônia realizada nesta segunda-feira (12), no Palácio da Cultura Sônia Cabral, no Centro de Vitória.

 

O interno de 34 anos cursa o 3º ano do ensino médio na unidade prisional e recebeu como prêmio pela 1º colocação um notebook. Emocionado, Wanderson disse que já havia ficado surpreso por ter ficado entre os três finalistas, concorrendo com estudantes de todo o Estado.

 

“Fiquei muito feliz. Gosto muito de ler e escrever e participar do concurso foi algo diferente para mim. Vou fazer o Enem e pretendo conseguir uma bolsa para poder dar continuidade aos estudos, que estou concluindo na unidade. O computador vai ficar com a minha família e vai ajudar meus três filhos nos estudos deles”.

 

O 3º lugar do concurso também é de um interno que cumpre pena na Penitenciária Regional de Cachoeiro: Johnny Victor Gonzaga, que cursa o 2º ano do ensino médio.  “Gosto muito de ler e fiquei feliz só de estar entre os internos da unidade que participaram do concurso. Fizemos a redação durante as aulas de Português, com a orientação do professor, e não esperava estar entre os premiados. Foi uma boa surpresa”.

 

O 2º lugar foi para a estudante Ana Paula Coradini Altoé, da EEFM Professor Santos Pinto, de Governador Lindemberg. 

 

O secretário de Estado da Justiça, Walace Tarcísio Pontes, disse que os resultados obtidos pelos detentos refletem a importância da educação para a sociedade.

 

“A vitória dos internos no concurso é emblemática, já que eles concorreram com estudantes de todo o Estado. Isso mostra que a educação oferecida às pessoas privadas de liberdade tem a mesma qualidade da que é ofertada aos demais alunos. É um orgulho para a secretaria ver os internos saírem vencedores da disputa”.

 

Além dos internos, também foram reconhecidos no evento com o recebimento de placas a escola referência para a unidade prisional, EEEFM Inah Werneck, representada pelo diretor Wanderson da Silva Santos, e o professor que orientou os internos na produção das redações, Basílio Couto Machado.

 

Durante a cerimônia de premiação, o professor destacou as boas condições de higiene e as oportunidades de trabalho que são oferecidas aos internos na unidade prisional em que atua.

 

“O Espírito Santo pode servir de exemplo para os outros. Para mim, é uma honra muito grande ver alunos que estão no sistema prisional serem premiados em um concurso, ainda mais com um tema desafiador para ser trabalhado dentro de um presídio, escrevendo sobre direitos humanos”.

 

Concurso

 

O tema do concurso Direitos Humanos na Escola 2016 foi “Direitos Humanos e Democracia: e eu com isso?”. Os textos deveriam ter, no máximo, 2 mil caracteres, e foram avaliados por uma comissão julgadora formada por membros das secretarias, do Conselho e por convidados. Puderam participar alunos do Ensino Médio, do Ensino de Jovens e Adultos (EJA) e os alunos que estão em privação de liberdade.

 

O 1º lugar do concurso recebeu um notebook, o 2º lugar, um tablet, e o 3º colocado, um smartphone. Já as escolas e os professores que orientaram os alunos receberam placas e certificados.

 

Cerimônia

 

A premiação do concurso de redação Direitos Humanos na Escola 2016 foi realizada durante a cerimônia de encerramento da V Semana Estadual de Direitos Humanos. A disputa foi promovida pela Secretaria de Estado dos Direitos Humanos (SEDH), pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos e pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu).

 

Participaram da solenidade o secretário de Estado de Direitos Humanos, Júlio Pompeu, o secretário de Estado da Justiça, Walace Tarcísio Pontes, a subsecretária de Ações Estratégicas, Gabriela Macedo Lacerda, e a presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Morgana Boostel. Representantes de diversas entidades ligadas à defesa dos direitos humanos também estiveram presentes.

 

Durante o evento, também foram homenageados por sua atuação em defesa dos direitos humanos a Associação Gold (Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade) e a militante Ana Maria Caracoche.

 

Educação

 

Atualmente, o Espírito Santo possui cerca de 3,5 mil detentos estudando em salas de aula nas unidades prisionais, da alfabetização ao Ensino Médio, na modalidade de Educação para Jovens e Adultos (EJA). O acesso à educação é oferecido em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Sedu).

 

Enquanto a média nacional de pessoas privadas de liberdade estudando é de 10%, no Estado o índice é de 17,6%. A população carcerária atual é 19.836. Considerando apenas os detentos condenados, 25,4% são atendidos pela educação formal.

 

Redução de pena

 

Segundo a Lei de Execução Penal, o detento que estuda tem direito à remição da pena. A cada 12 horas de estudo, distribuídas em três dias, um dia da pena é reduzido.

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.