Home      Geral

Com risco de desabar, Centro Operário é interditado

O laudo concluiu que o local é objeto de demolição e reestruturação, devido às graves avarias estruturais

12.08.2017

 

 

 

A vistoria realizada no dia 11 de julho deste ano

 

Leandro Moreira

 

O imóvel do Centro Operário e de Proteção Mútua – um dos primeiros sindicatos trabalhistas do Brasil – foi interditado pela Defesa Civil de Cachoeiro de Itapemirim, após vistoria realizada no dia 11 de julho deste ano. O laudo concluiu que o local é objeto de demolição e reestruturação, devido às graves avarias estruturais.

 

Conforme o laudo técnico fornecido pelo engenheiro civil Milton Garschagen Assad, há necessidade de manutenção no telhado do imóvel, onde há pontos de vazamento em função de telhas avariadas e peças de madeira comprometidas.

 

Também foi sugerida a retirada e limpeza de todas as telhas e troca das unidades avariadas, seguido de substituição das peças de madeiras comprometidas. Nos casos das ripas de madeira, podem ser substituídas por perfis metálicos. E ainda a instalação de manta sob as telhas.

 

Outro parecer aponta para o risco de desabamento na edificação anexa no fundo do terreno. Nesse local, há um sanitário em “péssimas condições” e um almoxarifado, sendo sua cobertura em telha ondulada de fibra e cimento com estruturas em madeira, “também em condições precárias”.

 

Ainda conforme o documento, “a parte elétrica da edificação encontra-se fora das normas técnicas de segurança, sendo necessária a adequação para o uso com responsabilidade. A reforma deverá manter todas as características do imóvel sem a utilização de materiais que comprometam a identidade do Centro Operário”, consta no parecer de Leandro Queiroz Di Giorgio, integrante do Conselho Municipal de Política Cultural, representando a Câmara de Arquitetura e Urbanismo.

 

O assunto foi debatido no Conselho Municipal de Cultura no dia 17 de julho, quando também aprovaram a utilização de verba do grupo Ela de Teatro para alguns reparos no Centro Operário. O recurso foi angariado através de contemplação junto ao Funcultura, edital n.º 20/2016, através do projeto “Manutenção do Grupo ELA de Teatro”. O grupo utilizava sala do Centro Operário para ensaios.

 

Tradicional em Cachoeiro, o imóvel é a primeira recepção do Cachoeirense Ausente durante a Festa de Cachoeiro, em 29 de junho. Neste ano, a interdição ocorreu em menos de um mês após os festejos.

 

 

 

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.