Home      Geral

Ações em Cachoeiro mobilizam pelo fim da violência contra a mulher

09.11.2017

 

 

 

Nesta quarta (8), os 92 atiradores do Tiro de Guerra participaram de palestra (Foto: Divulgação/PMCI)

Neste mês, em que se celebra o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher (25 de novembro), a Secretaria de Desenvolvimento Social de Cachoeiro (Semdes) intensifica as ações para prevenir casos de agressão às mulheres. 


Nesta quarta-feira (8), os 92 atiradores da turma 2017 do Tiro de Guerra do município participaram de uma palestra sobre violência doméstica, por meio do projeto Ciranda Feminina, que leva informações sobre o tema a bairros e distritos.

 

A palestra foi ministrada pela psicanalista com formação em Direito Rachel Viana. Entre os assuntos abordados, estiveram a Lei Maria da Penha, tipos de violência doméstica e maneiras de evitar e denunciar abusos. Os atiradores tiveram a oportunidade de fazer perguntas e relatar experiências.

 

"É muito importante ter esse tipo de palestra com os atiradores, porque são garotos em processo de formação para a vida adulta. E eles também podem sofrer com violência doméstica, não somente as mulheres. Nas nossas palestras, sempre aparece alguém com algum relato de violência. É uma forma de pedir socorro", afirma Rachel Viana.

 

Instrutor do TG de Cachoeiro, o Sargento Barcellos destaca o papel de difusão de informações dos atiradores. "Eles são de todos os bairros de Cachoeiro, e cumprem um papel muito importante de multiplicar o conhecimento em suas comunidades", comenta.

 

Giovani Rangel, um dos atiradores presentes na palestra, elogiou a iniciativa. "Eu já tinha conhecimento sobre o assunto, mas foi importante a atividade para tirar algumas dúvidas, principalmente na questão de como fazer denúncias", diz.

 

Outros bairros receberão atividades do Ciranda Feminina nas próximas semanas, e a Semdes prepara um grande evento para marcar a passagem do Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher (25 de novembro). Será no ginásio de esportes de Soturno, com uma série de atividades para as moradoras da região.

 

Outras ações

 

O Espírito Santo está em 5º lugar no ranking dos estados com maior número de casos de violência contra a mulher - em anos anteriores, chegou a figurar na primeira colocação. Em Cachoeiro, diversas ações têm sido feitas para diminuir esse índice. Além da Ciranda Feminina, há também o projeto Promotores da Paz. A iniciativa é voltada para a capacitação de presidentes de associações e líderes comunitários para o suporte a vítimas de violência doméstica em suas regiões.

 

Em julho, a Secretaria de Defesa Social (Semdef), por meio da Guarda Civil Municipal, implantou o projeto Ronda de Apoio à Família (Rafa). Com isso, agentes da Guarda realizam acompanhamento a mulheres vítimas de violência doméstica, de modo a verificar se o ciclo de opressão foi realmente interrompido.

 

Outro projeto educativo importante é o Diálogos Sobre Juventude e Violências Urbanas, que combate a violência de gênero por meio de palestras nas escolas de ensino médio do município. Para a população feminina do interior, foi realizado em setembro, no distrito de Itaoca, o evento Vem Viver Mulher.

 

Cachoeiro também aderiu este ano à campanha mundial do Laço Branco, que mobiliza os homens pelo fim da violência contra a mulher, e a dois projetos de nível estadual: o Homem que é Homem, que visa coibir a reincidência de agressores; e o Movimento de Combate à Violência Contra a Mulher.

 

"Os nossos esforços estão concentrados em diminuir em Cachoeiro essa triste estatística de nosso estado. Por isso o nosso empenho em realizar projetos em vários níveis para atacar o problema da violência contra a mulher", destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Márcia Fonseca.

 

 

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.