Home      Hiperfoto

Banhistas reclamam de embarcações próximo a orla em Iriri

A Capitania dos Portos informou que há operações de fiscalização na região e que a participação da população em denúncias é importante.

11.01.2018

 

 

 

Frequentadores da Praia da Areia Preta, em Iriri, balneário de Anchieta, reclamam do desrespeito das embarcações que não obedecem a distância de segurança dos banhistas. Além disso, eles contam que a areia da praia está tomada por pedalinhos e pranchas e que quase não há espaço para os banhistas.

 

De acordo com a Marinha, a distância é de 200 metros da orla para embarcações motorizadas, como barcos, lanchas, jet-ski e outros e 100 metros para embarcações a remo ou não motorizadas, como pedalinhos, pranchas, caiaques e outros.

 

Segundo o turista Raul Marques, durante o verão, as praias do balneário são tomadas por embarcações, que, além do risco de acidentes, sujam a água com óleo.

 

“Todo verão é assim. As embarcações ficam próximas dos banhistas, sem medo nenhum de causar acidentes. A água está suja de óleo e não dá pra se banhar assim. Não vejo fiscalização e desse jeito fica difícil continuar frequentando um lugar tão bonito”, disse.

 

Já a funcionária pública que não quis se identificar, reclama que a areia da praia é tomada por barracas de pedalinhos, boias e pontos de apoio a embarcações do tipo banana. “Eles tomam o espaço na água e na areia. E o turista, como fica? Já não há muito espaço por conta da quantidade de pessoas, e ainda tomam uma área desnecessária para colocar pedalinhos e afins, fica muito chato. Acho que a prefeitura precisa ver isso. Estamos em alta temporada, muita gente frequenta aqui”, comentou.

 

Segundo a Prefeitura de Anchieta, a fiscalização das embarcações é de responsabilidade da Capitania dos Portos. Já as fiscalizações das embarcações não motorizadas, como pedalinhos, pranchas, caiaques e boias é feita pelo município.  Ainda segundo a prefeitura, os responsáveis são orientados no momento da retirada da licença. Àqueles que não estiverem cumprindo com as regras serão autuados e podem perder o direito de espaço concedido pela prefeitura. 

 

A Capitania dos Portos informou que há operações de fiscalização na região e que a participação da população em denúncias é importante para que sejam identificadas as embarcações irregulares.

 

Segundo o sargento Costa, os veículos que estiverem irregulares ou desobedecendo as regras de segurança e serviço serão multados e recolhidos.

 

“As pessoas que observarem algo irregular nas embarcações, podem e devem denunciar. Se possível, nos enviar fotos, nome e número de inscrição do veículo aquático. Isso nos ajuda bastante na hora da fiscalização”, comentou o sargento.

 

A denúncias podem ser feitas por meio do telefone 27 2124-6526, pelo e-mail cpes.denuncia@marinha.mil.br ou pelo aplicativo Praia Segura ES, que pode ser baixado gratuitamente em qualquer aparelho celular.

 

 

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.