Home      Saúde

Grávidas de risco estão sem remédio

A gerência de Assistência Farmacêutica informou que a distribuição do medicamento começa a ser normalizada

10.02.2018

 

 

 

A Enoxaparina Sódica age em mulheres com gravidez de risco, evitando o aborto espontâneo

Mulheres com gravidez de risco estão enfrentando dificuldades para conseguir uma medicação que é indispensável para garantir a segurança delas e a do bebê na rede pública de saúde de Cachoeiro de Itapemirim.

 

A Enoxaparina Sódica é um medicamento que age como anticoagulante e antitrombótico e é usado pelas grávidas que têm trombofilia, histórico de trombose, abortos espontâneos, entre outros casos. Elas começam a usar o medicamento, que é injetável, assim que descobrem a gestação.

 

A mãe da gestante Vanessa Carneiro Xavier, de 30 anos, grávida de cinco meses, Vanusa Carneiro Xavier, disse que a filha precisa usar o medicamento porque ela tem trombofilia. “Ela já perdeu dois bebês e, agora nessa gestação, estamos passando um pouco de sufoco para conseguir a Enoxaparina. Se ela ficar sem, ela perde o neném”, explica.

 

Vanusa conta que corre atrás do medicamento para a filha, porque Vanessa tem deficiência auditiva. Ela diz não encontrar o medicamento no ‘Elefante Branco’ – como ficou conhecido o hospital do Aquidaban, onde é distribuído em Cachoeiro, há dois meses e também tem dificuldades de achar em farmácias para comprar.

 

“A minha filha toma o de 60mg, mas estou encontrando apenas o de 40mg e o de 20mg. Conversei com a médica e ela autorizou Vanessa a tomar estes. Então compro dois e aplico duas doses. Mas também estou encontrando dificuldades para encontrar”, comenta.

 

Vanusa paga pela caixa de Enoxaparina Sódica, que vem com dias injeções, R$ 40,00 pela de 40mg, e R$ 20,00 pela de 20mg.

 

Maria Luciene de Oliveira Lopes, de 38 anos, ainda não está grávida, mas está planejando ter um bebê e por causa da falta de medicamento, ela precisou adiar os planos.

 

“Eu estou tentando engravidar e na última consulta que tive com o meu obstetra, ele me aconselhou a esperar um pouco mais. Eu fico impaciente porque para engravidar preciso desse medicamento, e também não estou muito em idade de esperar. Há muitas mulheres que dependem dele e que já estão grávidas”, complementa.

 

Em diversas farmácias do município, é possível encontrar apenas o medicamento com 20mg, com duas ampolas, que custam entre R$ 50,00 a R$ 53,00 e, mesmo assim, não são todas as drogarias que têm o medicamento disponível.

 

A Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa), questionada sobre a falta do medicamento, disse, por meio de nota, que a gerência de Assistência Farmacêutica informou que o problema no abastecimento ocorreu devido à falta de matéria-prima para a produção da Enoxaparina Sódica pelo laboratório, mas que a distribuição em todo o estado já está sendo normalizada.

 

 

 

 

Comentários


(28) 3511-7481

 

es.fato@terra.com.br

redacao@jornalfato.com.br

 

Faça parte de nosso Facebook!

 

© 2016 Jornal Fato. Todos os direitos reservados.