Cachoeirense pede recálculo de energia, mas juiz nega - Jornal Fato
Geral

Cachoeirense pede recálculo de energia, mas juiz nega

O juiz, em seu entendimento, disse que a moradora não comprovou ter viajado e desligados os aparelhos


Uma moradora de Cachoeiro de Itapemirim entrou na justiça para pedir que sua fatura de energia elétrica fosse recalculada. Ela alegou que viajou e mesmo assim a fatura chegou alta. No entanto, o juiz julgou improcedente e negou o pedido. 

A mulher relatou que ficou fora de casa durante todo o mês de janeiro de 2017, e desligou todos os aparelhos elétricos, deixando apenas a geladeira ligada. A fatura da residência chegou no valor de R$ 130,84. A companhia de energia elétrica se defendeu ao dizer que a cobrança é devida e que não houve falhas na prestação de serviço.

O juiz, em seu entendimento, disse que a moradora não comprovou ter viajado e desligados os aparelhos, por isso nega o pedido do recálculo.

"Não há provas também de que a autora realizou o desligamento dos aparelhos elétricos que minimizam o cálculo da fatura. Observa-se que a autora confessa que deixou em sua residência uma geladeira ligada, daí, há inúmeras possibilidades que representaria o aumento do consumo em virtude de tal aparelho ligado, uma delas, da porta da geladeira estar aberta (má vedação)", diz a sentença.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...