Morre, aos 73 anos, o jornalista João Bicalho - Jornal Fato
Geral

Morre, aos 73 anos, o jornalista João Bicalho

O corpo de João Bicalho está sendo velado na capela mortuária de Muqui e será sepultado às 16h no cemitério municipal


O jornalista João Evangelista Bicalho Cúrcio, 73 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (9). Ele teve pneumonia e complicações derivadas de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que sofreu em junho. Na ocasião, ficou 15 dias internado em Unidade de Tratamento Intensivo, em Guaçui. Durante toso este período, recebeu cuidados de sua irmã, Creuza.

Bicalho foi enterrado em sua cidade natal, Muqui, no final nesta tarde. A prefeitura de declarou luto de três dias. "João Evangelista Bicalho Cúrcio representou a cidade de Muqui no Estado do Espírito Santo com intenso e dedicado jornalismo. Superou todas as suas dificuldades e foi reconhecido por seu mérito por todo território estadual".

João nasceu em 20 de julho de 1945. O parto foi de risco para mãe e filho. O jornalista nasceu com lesões, perceptíveis em seu modo de falar a andar. Em 1963, durante o sepultamento de seu pai, Orlando Cúrcio, João foi convidado pelo então deputado federal Dirceu Cardoso, a ser correspondente em Castelo de seu jornal "O Município".

É um dos fundadores da Associação de Futebol de São Muquiense (Asfusam). Em 1977, circulou a primeira edição do Jornal de Muqui, no qual era redator. No ano de 1998, juntamente com José Eugênio Vieira, fundou o Jornal de Afonso Cláudio, com apoio de Methódio Rocha.

Durante anos, publicou sua coluna "Espaço Esportivo Muqui" no Espírito Santo de FATO. "Era um guerreiro. Na vida, superou muitas dificuldades e preconceitos e se fez conhecido em todo o Espírito Santo. Manteve, durante anos, um dos mais antigos jornais do estado, o jornal de Muqui", lembra o diretor do FATO, Wagner Santos

Comentários

VEJA TAMBÉM...