Fechando e abrindo ciclos - Jornal Fato
Artigos

Fechando e abrindo ciclos

Na jornada da vida descobri que os ciclos são variados e todos tem sua importância e significados


Na jornada da vida descobri que os ciclos são variados e todos tem sua importância e significados.

Há ciclos curtos, médios e longos.

Há aqueles tempos que chamo de "entre ciclos". São os tempos de intervalos entre ciclos importantes e significativos.

Há ciclos iniciados dentro de outros ciclos, isto é, ciclos não fechados ainda e, neste caso, sempre causam algum tipo de caos, mas, é a partir do caos que se cria muito do que precisa ser criado.

A medida que os anos passam, fica mais fácil pra olhar pra trás e identificar melhor os ciclos vividos.

Disto aprendi que, há pessoas que se tornaram vitais em cada um dos ciclos que vi e vivi, vitais mesmo, no entanto, ficaram na memória.

Por mais intensos que tenham sido os relacionamentos, hoje, são memórias, memórias fortes, significativas, mas, memórias.

Isto tem a ver com a máxima dos relacionamentos, isto é, "PROXIMIDADE É QUE GERA INTIMIDADE"

A medida que a distância foi tomando conta dos relacionamentos, isto é, com afastamentos provocados, causados, deliberados, necessários, circunstanciais, tipo, mudanças geográficas, reconfigurações na geografia relacional fruto de desavenças, estranhezas, separações, enfermidades e mortes.

Afastamentos provocados por mudanças de pensamentos os mais variados, tipo, convicções religiosas, políticas, culturais e outros que, inevitavelmente separam pessoas

Bem, se PROXIMIDADE GERA INTIMIDADE, DISTANCIA GERA APATIA E INDIFERENÇA, não apatia ou indiferença desejada, apatia e indiferença natural como resultado do afastamento.

Excetuando a morte, tudo pode ser revertido, no entanto, requererá dos interessados reaproximações que, dependendo do tempo e das circunstancias, nem sempre é tão simples.

Tenho pra mim que alguns relacionamentos nunca serão mais os mesmos depois de um período de afastamento, no entanto, é possível se reiniciar em outro patamar relacional.

Na jornada da vida perdemos, nos perdemos e nos perdem.

Memórias Requerem Memoriais e os tenho construído por dentro e por fora de mim.

Ao tempo que meu coração é absolutamente agradecido por tantos novos relacionamentos que a cada tempo agrego à minha vida acrescentando qualidade e saúde relacional neste ciclo do envelhecimento quando se colhe o que se plantou no caminho percorrido.

 

Leandro Vieira, Conselheiro Tutelar Região II de Cachoeiro de Itapemirim/ES


Leandro Vieira

Comentários

VEJA TAMBÉM...