Polícia dá 70 tiros para conter caminhoneiro em fuga - Jornal Fato
Polícia

Polícia dá 70 tiros para conter caminhoneiro em fuga

O condutor da Scânia é acusado de usar o veículo para tentar matar policiais - perseguição começou em São Joaquim e só terminou na BR 393


Mesmo após ter pneus furados, carreteiro ainda trafegou por 4 km antes de parar - Divlgação/PM

Um caminhoneiro foi preso pela Polícia Militar na madrugada de sábado (22) após uma hora de perseguição e 70 disparos de arma de fogo na tentativa de parar a carreta, que teve quatro pneus furados. O condutor, de 38 anos, é acusado de tentar atropelar os policiais e resistir à prisão, além de colocar em risco a vida de outros motoristas. O caso teve início na localidade de São Joaquim, em Cachoeiro. A prisão, no entanto, só ocorreu na BR 393. Seis viaturas foram empregadas na ocorrência.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 23h40, o caminhoneiro foi visto e abordado por policiais. Ele, segundo o boletim de ocorrência, tentava arrombar, com o auxílio de um pé de cabra o portal principal de uma empresa do setor de rochas ornamentais.

Após desacatar os policiais, prossegue a narrativa, ele entrou no caminhão, modelo Scânia, o ligou e acelerou na direção dos policiais, que conseguiram desviar. A PM empregou sei viaturas no acompanhamento do veículo. No trajeto, foram disparados 70 tiros de cinco armas, 60 deles de fuzil.  

O caminhoneiro só parou quatro quilômetros após pelo menos quatro dos pneus do veículo serem inutilizados, já na BR 393. Ainda assim, ao descer, resistiu à prisão. Até mesmo arma de eletrochoque foi utilizada na tentativa de contê-lo, mas falhou.

Segundo a PM, foram tomadas medidas administrativas de trânsito (3 autos de infrações, recolhimento de CNH e teste do etilômetro). A carteira de habilitação dele está vencida.

O veículo ficou sob a responsabilidade do irmão do proprietário, que removeu ao pátio do DPJ. A PM garante que o detido não apresentava lesões corporais, exceto escoriação no cotovelo, originada no momento da imobilização devido à resistência ativa.

Após a ocorrência, verificou-se que a porta traseira direita da viatura 3554 da Força Tática, apresentava furo ocasionado por disparo de arma de fogo, de fora para dentro, inclusive com o vidro quebrado. A polícia, no entanto, não soube informar a origem do disparo.

Comentários

VEJA TAMBÉM...