Mansur soube ouvir as urnas - Jornal Fato
Artigos

Mansur soube ouvir as urnas


"A verdadeira medida de um homem não se vê na forma como se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas em como se mantém em tempos de controvérsia e desafio"

Martin Luther King

O deputado estadual Marcos Mansur (PSDB) saiu vitorioso das eleições. Soube ouvir o duro recado das urnas em 2016, quando disputou a Prefeitura de Cachoeiro. A votação decepcionante evidenciava a sua desconexão com o eleitorado cachoeirense.

O fracasso parecia prenunciar outro, ainda maior, em 2018. A ponto de sua reeleição ser tratada como improvável, com dois anos de antecedência. 

Mansur, no entanto, não se prostrou com o resultado adverso. Pelo contrário, assimilou e decidiu se aproximar do eleitorado, não apenas cachoeirense, mas de toda a região.

Passou a prestar contas do seu mandato diariamente, valendo-se para isso das redes sociais, aplicativos de mensagens e da imprensa, além da presença constante em eventos, sobretudo os religiosos e ligados ao cooperativismo.

A mudança de atitude fez um mandato apagado se acender. E o trabalho incansável foi premiado nas urnas. Mais uma vez, não teve votação magnífica em Cachoeiro. Apesar de ter avançado, conseguiu mais votos fora, onde avançou também.

Entretanto, com os políticos tradicionais na berlinda, foi um dos poucos a ampliar o número de sufrágios de uma eleição para a outra. É um feito e tanto numa disputa em que metade dos deputados estaduais foi trocada.

Mansur pretende cumprir seu mandato até o final. A menos que um cavalo encilhado e arreado passe à sua frente em 2020. Enquanto isso, segue trabalhando, como se ainda estivesse em campanha, fazendo sua mensagem chegar todos os dias aos eleitores.

 

DESTAQUE. Em Cachoeiro não existe a figura do prefeito regional, mas, simbolicamente, é esse o papel exercido pelo vereador Rodrigo Sandi, na comunidade do Zumbi. Em parceria com a Prefeitura, ou por iniciativa própria, sempre promove realizações no bairro. Domingo, por exemplo, fez dia de lazer para as crianças. A imagem revela o sucesso.

 

SOBE

Orla de Marataízes

No próximo dia 28 de novembro, a partir das 9h30, acontece a abertura da Concorrência Pública para a execução da segunda etapa da Reurbanização e Melhoria da Mobilidade Urbana da Orla de Marataízes, referente ao trecho entre o Praia Hotel e o Semáforo da entrada da Avenida Atlântica, próximo ao antigo Chalé 70. Os recursos, cerca de R$ 9,8 milhões, foram garantidos ao município pelo governador Paulo Hartung, que mandou fazer o repasse integral ainda neste ano. Como homenagem, o prefeito Tininho quer dar a ordem de serviço, mesmo simbólica, ainda neste ano. 

 

DESCE

Transporte coletivo

Aproveitando o ensejo de toda polêmica levantada sobre o ainda mal compreendido subsídio para o transporte coletivo municipal em Cachoeiro, os atores políticos poderiam aproveitar para se aprofundar na discussão da mobilidade urbana. Qual o modelo que o cachoeirense quer? O atual, que inviabiliza o serviço que não é atrativo a passageiros e, por isso, mal cobre seus custos, ou outro, em que todo o trânsito seja pensado e remodelado para privilegiar os ônibus e que reduza o número e veículos particulares nas ruas, com maior adesão ao coletivo?

 

Mas, hein?!

Em Marataízes, o prefeito Tininho (PDT) conseguiu junto ao governo do Estado para fazer a chama obra do século da reurbanização da orla. Só não conseguiu, ainda, tomar posse deste feito.

 

Vias de FATO

Com a eleição de Renato Casagrande (PSB) a Prefeitura de Cachoeiro já sofre baixas no secretariado. O secretário de Fazenda, Rogélio Amorim. Foi convocado para a Fazenda Estadual. 

Outros nomes cogitados para atuar no governo estadual são os dos secretários de Governo, Weydson Ferreira, de Esportes, Lília Barbosa. 

Enquanto isso, já se especulam nomes de quem poderia substituí-los. Um deles é o vereador Wallace Marvilla (PP), que tem afinidade com o Esporte. 

Uma das questões ainda indefinidas após as eleições é a relação que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) terá com o Espírito Santo. 

Passarão pela mesa dele alguns projetos estruturantes para o Estado, como, por exemplo, a Ferrovia Litorânea Sul, de Vitória a Presidente Kennedy. 

A estrada de ferro ficou ameaçada depois que o presidente Michel Temer decidiu destinar à região Centro-Oeste.     

 


Wagner Santos Diretor e editor Jornalista

Comentários

VEJA TAMBÉM...