Padarias cumprem mais de 200 exigências para ter cinco estrelas - Jornal Fato
Economia

Padarias cumprem mais de 200 exigências para ter cinco estrelas

Conseguir o nível máximo de estrelas representa cumprimento de 95% ou mais das 240 condicionantes


Foto: Divulgação

Cumprir à risca todas as exigências sanitárias feitas a padarias não é tarefa das mais simples. Para se ter ideia do tamanho da encrenca, são 240 os pontos avaliados pelos fiscais, em Cachoeiro de Itapemirim, antes de emitir a classificação por estrelas que serve, também, para orientar o consumidor quanto à qualidade dos estabelecimentos e dos produtos oferecidos.

É um complexo emaranhado de obrigações, com base em regulamentações federais, que partem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde, além de leis e portarias municipais, com ênfase em fatores como higiene com os alimentos e ambiente, gerenciamento de resíduos, climatização, refrigeração, prevenção de riscos de saúde, até o embalar individual de canudos plásticos ou palitos de dentes.

Conseguir o nível máximo em tantos quesitos garante às padarias as cobiçadas cinco estrelas, o que representa o cumprimento de 95% ou mais das condicionantes.

 

Evolução

Em 2010, eram 13 cinco estrelas entre 82. Dois anos depois, 27 entre 99. Em 2014, 31 de 101. Mais um biênio e veio o ápice, com 45 de 91, em 2016.Em 2017, o número de melhores padarias caiu para 36 num total de 87. E voltou a subir no ano passado.  Das 88 padarias fiscalizadas ao longo de 2018, 41 conseguiram chegar a esse patamar.

 

Capacitações ajudam padarias a evoluir

Desde 2017 a fiscalização de padarias - também de restaurantes e açougues - é antecedida por cursos de capacitação sobre boas práticas, oferecidos pela Vigilância Sanitária, o que, somado ao trabalho contínuo de fiscalização, contribuiu para fazer elevar a qualidade geral dos estabelecimentos desde então.

Não é apenas o número de padarias cinco estrelas que cresce, mas também o de estabelecimentos com classificação insuficiente - uma ou duas estrelas, que diminui. Se em 2010 eram 29 estabelecimentos neste nível, em 2018 foram apenas 8, das quais só uma no nível mãos baixo.

De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária, Denclair Escobar, a estratégia de orientar melhor os empreendedores e funcionários tem surtido o efeito desejado e já não há risco iminente para a saúde dos consumidores.

 

Fiscalização

Ele explica que os estabelecimentos com classificação insuficiente sofrerão, ainda neste ano, fiscalização rigorosa, para avaliar se sanaram os problemas a ponto de atingirem o mínimo de 3 estrelas, considerado razoável. As que não se enquadrarem, podem ser interditadas.

E a relação das melhores padarias comprova que é possível evoluir. Como estabelecimento, que chegou a ser interditado há alguns anos, mas hoje cumpre todos os requisitos para ser avaliado como cinco estrelas.

 

Comments

SEE ALSO ...