Casagrande retoma pavimentação em Vargem Alta - Jornal Fato
Cidades

Casagrande retoma pavimentação em Vargem Alta

Pavimentação de 23 quilômetros vai custar pouco menos de R$ 13 milhões e vai atender região turística e de forte vocação agrícola


"Nenhuma (grande) obra começa antes de terminar as que estavam paradas". Essa é a palavra de ordem do governador Renato Casagrande (PSB). Em pouco mais de cinco meses de gestão, a diretriz tem rendido frutos para comunidades do interior, como o distrito de Castelinho, que espera há mais de quatro anos pelo recapeamento da rodovia ES 164, no trecho de 23 quilômetros, até Vargem Alta. O investimento será de pouco menos de R$ 13 milhões e a obra, retomada a partir de ontem, tem previsão de 12 meses para ser concluída.

Trata-se de importante corredor para o escoamento da farta produção de hortifrutigranjeiros da região, em que se destaca a cafeicultura, suinocultura, dentre outras. Pela estrada também passam a produção mineral e, principalmente turistas com destino a Pedra Azul ou mesmo aos atrativos vagem altenses, como famoso restaurante caseiro, em que faltam vagas para atender a clientela aos finais de semana, em Castelinho, como lembra o vereador Darly Fassarela.

Foi Renato Casagrande que, em mandato anterior, pavimentou o caminho entre Castelinho e Pedra Azul. Deixou adiantado o caminho para que o mesmo fosse feito até Vargem Alta, mas a obra não andou nos quatro anos em que esteve afastado do Governo. Se a sua ordem é terminar o que já foi começado, a política da gestão anterior foi paralisar tudo, para retomar o que fosse possível, alegando crise financeira. Ao que Casagrande rebate de maneira veemente.

"O Espírito Santo ficou quatro anos parado. Com dinheiro em caixa: do BNDS, do Banco Mundial, de financiamentos diversos", garante o governador.  "O nosso compromisso é trabalhar os quatro anos do governo. De ajudar no desenvolvimento espalhado pelo estado. E a região sul é a que precisa de presença mais forte do governo. Tem menos incentivo do que a região norte, por exemplo".  

Para Casagrande, a obra já deveria estar pronta há muito tempo, mas foi atrapalhada pela "política pequena". Para retomá-la, segundo o diretor do Departamento Estradas de Rodagens (DER), Luiz César Maretto, foi necessário alterar a legislação estadual, para que o projeto original - que prevê trevo em Taquarussu, além de 10 km de faixa multiuso pudesse ser retomado. No final da gestão passada, foi dada ordem de serviço, com o projeto desfigurado, mas a empresa que venceu a licitação desistiu da obra.

O pastor José de Paula Gomes, da Igreja Assembleia de Deus, de Castelinho, há 40 anos mora no distrito. Ele conta que ajudou a construir a ponte do local e se alegra ao ver a obra ser retomada. Segundo a ele, a situação ficou difícil há alguns meses, com buracos de mais de meio metro de profundidade.  Com a pavimentação asfáltica, prevê ganhos para o escoamento da produção agrícola, de rochas, para os moradores e turistas.

"Se governar é abrir estradas, como dizia o presidente Washington Luiz, pavimentá-las e retomar obras é mais do que governar, é investir de forma inteligente e com sensibilidade", elogia o prefeito da cidade, João Altoé.

Além do prefeito, a solenidade em que foi dada a ordem de serviço reuniu vereadores do município e de Cachoeiro, e os deputados estaduais Emílio Mameri, Coronel Alexandre Quintino, Luciano Machado e Marcos Mansur, que discursaram exaltando a decisão de retomar a obra.

Comments

SEE ALSO ...