"Mais qualidade e melhor preço para cana-de-açúcar nesta safra" - Jornal Fato
Economia

"Mais qualidade e melhor preço para cana-de-açúcar nesta safra"

Claudio Mezher, engenheiro agrônomo da Coafocana, explica como as últimas conquistas impactam o setor e a economia do litoral Sul do ES


Em menos de dois meses, a safra de cana-de-açúcar no litoral Sul do Espírito Santo apresenta resultados melhores que os do mesmo período de 2018: a qualidade aumentou 5%, com perspectiva de alcançar 10%; e o volume processado na indústria quase triplicou. As mudanças sinalizam a valorização do produto e a continuidade da recuperação do setor, que sofreu muito nos últimos anos. Esta é a avaliação de Claudio Mezher, engenheiro agrônomo da Cooperativa dos Fornecedores de Cana-de-Açúcar (Coafocana), que representa mais de 500 produtores rurais de Itapemirim, Marataízes e Presidente Kennedy.

 

A qualidade da cana-de-açúcar melhorou?

Sim. Nesses dois meses, observamos o aumento percentual de Açúcar Total Recuperável em Xarope (ATRX), medido pelo nível de sacarose. A expectativa é de um incremento de, pelo menos, 10% até o final da safra.

 

O que foi feito para obter esse resultado?

O plantio e o cultivo foram os mesmos, mas este ano tem chovido normalmente, com menor intensidade que em 2018, e esse período seco, no momento certo, contribui para o aumento da concentração de sacarose na cana-de-açúcar.

 

Como isso influencia a produtividade dos canaviais?

Maior teor de sacarose na cana-de-açúcar significa maior produção de açúcar e etanol. E a Usina Paineiras, que compra quase toda a produção local de matéria-prima, aprimorou sua logística e operação, de modo que quase triplicou o volume de processamento.

 

Melhor qualidade significa melhor preço para o produtor?

Com certeza, apesar de também depender do preço do açúcar e do etanol no mercado nacional e internacional. Mas a tendência é que os produtores ganhem mais do que no ano passado, quando os níveis de ATRX foram menores. Contudo, vale lembrar que, apesar da qualidade estar aumentando, a quantidade deve diminuir 10% em relação ao ano passado. Acreditamos que uma coisa vai compensar a outra. Ainda assim, melhorar a qualidade da produção é uma vantagem.

 

Isso vai ajudar o produtor rural a se recuperar das últimas safras?

As safras anteriores foram muito difíceis, especialmente devido à dura estiagem, que gerou baixíssima produção e péssima qualidade dos canaviais. Mas a Coafocana, em parceria com o poder público e a Usina Paineiras, tem oferecido apoio aos pequenos produtores. Somente nessa safra, mais de 100 produtores da Coafocana receberam, cada um, a doação de 20 toneladas de mudas para o plantio de cana-de-açúcar. Para 2020, um novo programa, desenvolvido pela Prefeitura de Itapemirim, vai oferecer 12.000 toneladas de mudas, sendo até 180 toneladas por produtor, além de adubo e calcário, suficientes para o plantio de 1.000 hectares. Tudo isso é muito importante para que o produtor tenha cada vez mais confiança na recuperação dessa cultura que, há séculos, é a mais importante da região.   

 

Isso gera benefícios para além do setor de cana-de-açúcar?

Melhorar a qualidade, o preço e a produtividade beneficia a todos: produtores rurais, sociedade, prefeitura e economia da região. Cerca de 90% da cana-de-açúcar daqui é comprada pela Usina Paineiras, o que é vantajoso para todos, pois a logística é rápida, segura e eficiente, com menos perdas. Além disso, alcançamos maior arrecadação de impostos e movimentação no comércio e nos serviços locais.

 

Comments

SEE ALSO ...